A REPAM, Rede Eclesial Pan-Amazônica, criada em 2014, abrange os nove países que formam a Bacia Amazônica: Brasil, Bolívia, Peru, Colômbia, Equador, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

A rede é resultado de três momentos fortes da Igreja na América Latina: o Encontro de Bispos da Pan-Amazônia (2004), a V Conferência do CELAM em Aparecida (2007) e o Encontro dos Bispos da Pan-Amazônia em Manaus (2009).

O objetivo da REPAM é abrir caminhos de diálogo, de articulação, de cooperação e de fraternidade entre as igrejas locais para fortalecer a comunhão pan-amazônica através de iniciativas como:

  • repensar nossa relação com o meio ambiente e com as populações tradicionais da região;

  • compreender e conhecer melhor a vida do bioma amazônico através da história e do testemunho, das propostas e das denúncias

  • promover o intercâmbio de informações e dar visibilidade aos programas de defesa da vida;

  • assumir a defesa da vida nas periferias existenciais dos povos da Amazônia;

  • formar uma ponte na defesa da vida entre a realidade local, nacional e internacional.

O dinamismo se inspira na Encíclica Laudato Sì. Pretende-se criar uma consciência de cooperação na defesa da casa comum e uma espiritualidade ecológica universal sobre o destino dos recursos naturais, tendo em vista a dignidade de cada pessoa e povo e seu direito a um desenvolvimento integral.

 

Nos dias 26 a 28 de maio de 2017 a REPAM quer estar mais próxima à Prelazia do Xingu, realizando no Centro de Formação Bethânia o SEMINÁRIO LAUDATO Si a fim de aproximar mais as Igrejas locais aos ideais da REPAM nacional. Com a participação de lideranças de nossa Igreja no Xingu se propõe a iluminar a realidade local através de uma ação educativa para criar uma cultura ecológica e elaborar um mapeamento eclesial da Pan-Amazônia nos três eixos: eclesial, social e ambiental.

Fontes: subsídios da REPAM